Problemas com a conservação das calçadas de Campo Grande

0
Emanuel Paiva
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Calçadas do bairro estão esburacadas e ocupadas por carros e ambulantes

Quem vive em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, já deve saber que ser pedestre não é uma tarefa muito fácil. As calçadas do bairro estão tomadas por carros, transformadas em verdadeiros estacionamentos gratuitos e a céu aberto e como se isso já não bastasse, a maioria não tem um bom estado de conservação.

As calçadas estão esburacadas, aumentando o risco de quedas e em dias de chuva o número de poças é grande. Quem precisa passar pelas calçadas com um carrinho de bebê ou cadeira de rodas, por exemplo, pode não encontrar espaço entre carros e ainda acabar preso em buracos. Deficientes visuais também se tornam dependentes da boa vontade alheia porque muitas vezes ficam presos entre os automóveis mal estacionados.

No centro comercial do bairro, chamado de calçadão, a situação não é muito melhor. Em trechos em que o trânsito é aberto para os carros, quem precisa passar pelas calçadas precisa disputar espaço entre ambulantes e lojistas, que ocupam o espaço do pedestre com suas mercadorias. A conservação do calçadão, feito em grande parte por pedras portuguesas e não em asfalto, também não é das melhores, é fácil encontrar buracos e poças, especialmente ao redor de bueiros e árvores. No mês de julho, agentes da prefeitura fizeram com que alguns lojistas liberassem a calçada para que as pessoas pudessem transitar com um número maior de espaço, mas isso não durou muito tempo. Em questão de duas semanas, a maioria já tinha colocado seus produtos exatamente onde estavam antes.

Existem muitas dúvidas sobre a quem cabe a conservação da calçada e a responsabilidade de reparos quando necessários, mas o certo é que o direito de ir e vir deveria ser de todos.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.